expand/collapse risk warning

CFDs apresentam um elevado risco de perda rápida de capital devido à alavancagem. 71% das contas perdem dinheiro ao operar CFDs com este fornecedor. Compreenda os CFDs e avalie o seu risco.

Os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um alto risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. 71% das contas de investidores de varejo perdem dinheiro ao negociar CFDs com este fornecedor. Você deve levar em conta sua compreensão de como funcionam os CFDs e se pode correr o alto risco de perder seu dinheiro.

71% of retail investor accounts lose money when trading CFDs with this provider.

Termos de Negociação

ETFs explicados: um guia completo

ETF, Exchange Traded Funds realtime mutual funds that tracking investment index trading in stock market concept, shopping carts or trolley full of Dollar money coins with alphabet combine the word ETF

ETFs, ou fundos negociados em bolsa, são veículos de investimento que ganharam imensa popularidade nos últimos anos devido à sua acessibilidade e flexibilidade. Neste guia, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre ETFs, incluindo sua definição, benefícios, tipos, mecanismos de funcionamento e diferenças com ações e índices. Além disso, forneceremos uma visão geral dos ETFs mais populares em todas as regiões, incluindo a UE, os EUA, a América Latina e a Ásia, e se os ETFs pagam dividendos.

O que são ETFs?

Os fundos negociados em bolsa (ETFs) são um veículo de investimento popular que ganhou ampla aceitação entre investidores institucionais e individuais nos últimos anos. Tornaram-se uma ferramenta poderosa para investidores que procuram exposição a uma carteira diversificada de ativos, com custos de transação mais baixos e maior flexibilidade do que os veículos de investimento tradicionais.

O conceito básico de ETFs é simples. São fundos negociados em bolsas de valores, assim como ações individuais. Os ETFs reúnem o dinheiro dos investidores e investem esse dinheiro em uma carteira variada de ativos subjacentes, como ações, títulos, commodities ou moedas. Isto permite que os investidores ganhem exposição a uma gama de activos num único investimento, tornando-se uma forma conveniente e económica de diversificar as suas carteiras.

Os principais benefícios dos ETFs são:

Flexibilidade
Como são negociadas em bolsas como ações, os investidores podem comprar e vender ações durante todo o dia de negociação, proporcionando maior conveniência e flexibilidade do que os fundos mútuos tradicionais, pois permite-lhes ajustar as suas estratégias de investimento em resposta às mudanças nas condições do mercado, sem ter que esperar até o final do dia de negociação para fazer uma transação.
Acessibilidade
ETFs normalmente têm taxas de administração e taxas de despesas mais baixas do que os fundos mútuos tradicionais, o que os torna uma opção de investimento mais econômica.
Transparência
Ao contrário dos fundos mútuos tradicionais, a maioria dos ETFs divulga suas participações diariamente, permitindo que os investidores vejam exatamente em quais ativos estão investindo.
Diversificação
Os ETFs oferecem aos investidores uma maior diversificação. Ao investir numa ampla gama de ativos subjacentes, estes investimentos proporcionam aos traders exposição a vários mercados e setores, reduzindo a sua exposição ao risco individual de ações ou obrigações.

Com tantos benefícios, não é de admirar que os ETFs tenham se tornado uma escolha de investimento tão popular entre investidores de todos os níveis de experiência.

Tipos de ETFs

Os ETFs estão disponíveis em diversos formatos, cada um projetado para atender a objetivos de investimento específicos.

Um dos tipos mais comuns de ETFs são as ações, que investem em uma carteira diversificada de ações. Eles são projetados para acompanhar índices ou setores específicos, como o SPX500 ou o setor de tecnologia. Oferecem aos traders a capacidade de investir numa vasta gama de empresas com um único investimento, proporcionando diversificação e reduzindo potencialmente o risco.

Outro tipo são os ETFs de renda fixa, que investem em uma carteira diversificada de títulos. Proporcionam aos comerciantes exposição ao mercado obrigacionista, o que pode ser uma opção de investimento atractiva para aqueles que procuram uma fonte de rendimento estável.

Os ETFs de Commodity investem em commodities físicas, como ouro ou petróleo, proporcionando aos investidores exposição ao mercado de commodities. Estas podem ser uma ferramenta útil para quem procura diversificar a sua carteira e proteger-se contra a inflação.

A exposição comercial aos mercados de moeda é oferecida por ETFs de moeda. Eles podem ser investidos especulativamente ou usados como proteção contra o risco cambial.

Finalmente, existem ETFs alternativos que investem em ativos não tradicionais, como fundos de hedge, private equity ou imóveis. Proporcionam aos investidores exposição a uma gama diversificada de activos que normalmente não estão disponíveis através de veículos de investimento tradicionais.

Com tantos tipos diferentes disponíveis, existe uma vasta gama de opções à escolha, permitindo aos investidores adaptar a sua carteira aos seus objetivos específicos e à tolerância ao risco.

Como funcionam os ETFs

Os ETFs são veículos de investimento passivo, o que significa que são projetados para acompanhar o desempenho de um índice ou ativo subjacente. Eles conseguem isso mantendo uma cesta de ativos subjacentes que refletem a composição do índice ou ativo que estão acompanhando, que pode incluir ações, títulos, commodities ou outros instrumentos financeiros. A carteira mantida por um ETF é normalmente determinada por uma metodologia baseada em regras, que é projetada para acompanhar de perto o desempenho do índice ou ativo subjacente.

Por exemplo, digamos que um investidor queira investir no SPX500, um índice popular de 500 ações de grande capitalização dos EUA. Em vez de comprar ações individuais, o investidor pode comprar ações de um SPX500. O ETF manterá uma carteira de ações que reflita a composição do SPX500, de modo que o desempenho do ETF acompanhe de perto o desempenho do índice SPX500. Ao investir num ETF, o investidor ganha exposição a uma carteira diversificada de ações sem ter de comprar e gerir ações individuais.

ETFs vs ações e índices

Os ETFs diferem de ações e índices individuais de várias maneiras.

Embora as ações representem a propriedade de uma única empresa, os ETFs detêm uma cesta de ativos subjacentes e são concebidos para acompanhar o desempenho de uma carteira específica, enquanto as ações individuais não acompanham necessariamente qualquer índice de referência específico. Isto significa que o desempenho de um ETF está vinculado aos ativos subjacentes que detém, e não ao desempenho de uma única empresa.

Em termos de liquidez, os ETFs são geralmente mais líquidos do que as ações individuais, pois podem ser negociados ao longo do dia e têm um grande número de participantes no mercado.

Outra vantagem dos ETFs sobre as ações individuais é que eles normalmente têm taxas mais baixas do que os fundos geridos ativamente. Isso ocorre porque eles são projetados para acompanhar o desempenho de um índice de referência subjacente, em vez de depender da experiência de um gestor de fundos para selecionar ações individuais.

No geral, os ETFs são uma opção atraente para muitos investidores. Ao oferecer taxas baixas, diversificação, flexibilidade e transparência, os ETFs podem ser uma adição valiosa a qualquer carteira.

Capitalize a volatilidade nos mercados de índices

Tome uma posição sobre os preços do índice em movimento. Nunca perca uma oportunidade.

Inscrever-se

ETFs mais populares

Os ETFs mais populares em várias regiões do mundo são:

Na EU, os ETFs mais populares incluem o iShares Core MSCI World UCITS ETF, que rastreia o MSCI World Index, e o Vanguard UK100 All-World UCITS ETF, que rastreia o UK100 All-World Index. Outro ETF popular é o ETF Xtrackers MSCI World UCITS, que acompanha o índice MSCI World e tem foco na sustentabilidade.

Nos EUA, o ETF SPDR SPX500 é um dos ETFs mais populares, acompanhando o desempenho do índice SPX500. O Invesco QQQ Trust é outro ETF popular que acompanha o desempenho do índice US100. O ETF Vanguard Total Stock Market também é uma escolha popular entre os investidores, acompanhando o desempenho do CRSP US Total Market Index.

A América Latina também é uma região onde os ETFs ganharam popularidade significativa nos últimos anos. O ETF BBVA MSCI Latin America e o ETF iShares MSCI Brazil são alguns dos ETFs mais populares nesta região. O ETF BBVA MSCI Latin America oferece exposição a uma ampla gama de ações latino-americanas, enquanto o ETF iShares MSCI Brazil se concentra especificamente em ações brasileiras.

Os ETFs também ganharam popularidade na Ásia. No Japão, o ETF iShares MSCI Japan é um dos ETFs mais populares, proporcionando aos investidores exposição a uma ampla gama de ações japonesas. Enquanto isso, na China, o ETF CSOP China A50 é uma escolha popular, oferecendo aos investidores exposição às 50 maiores empresas chinesas listadas nas bolsas de valores de Xangai e Shenzhen.

Estes ETF proporcionam aos investidores exposição a uma gama de ativos em diferentes regiões, permitindo que as suas carteiras floresçam e aumentem potencialmente os seus retornos.

É importante observar que a popularidade pode variar dependendo de fatores como condições de mercado, sentimento do investidor e regulamentações regionais.

How

Os ETFs pagam dividendos?

Uma pergunta que os investidores costumam fazer é se os fundos negociados em bolsa (ETFs) pagam dividendos. A resposta a esta questão não é simples, pois depende do tipo de ETF e dos activos que detém.

Os ETFs não geram lucros da mesma forma que as empresas individuais. Em vez disso, normalmente detêm uma carteira de activos, tais como acções ou obrigações, que geram rendimento sob a forma de juros ou dividendos.

Portanto, o pagamento de dividendos de um ETF depende dos ativos que detém.

Por exemplo, um ETF que detém ações que pagam dividendos provavelmente distribuirá esses dividendos aos seus acionistas. Da mesma forma, um ETF que detém obrigações que pagam juros provavelmente distribuirá esses juros aos seus acionistas.

É importante ressaltar que nem todos os ETFs pagam dividendos. Alguns ETFs, como aqueles que acompanham commodities ou moedas, podem não gerar rendimento da mesma forma que ações ou títulos e, portanto, podem não pagar dividendos.

Os investidores interessados em receber dividendos dos seus investimentos podem querer considerar investir em ETFs que se concentrem em ações ou títulos que pagam dividendos. Estes ETF podem proporcionar um fluxo de rendimento fiável ao longo do tempo, o que pode ser benéfico para investidores que procuram rendimento na reforma ou para outros fins.

Em resumo, o pagamento de dividendos pelos ETFs depende do tipo de ETF e dos ativos que detém. Embora alguns ETFs possam não pagar dividendos, outros podem proporcionar um fluxo confiável de rendimentos aos investidores. Os investidores devem considerar seus objetivos de investimento e tolerância ao risco ao selecionar ETFs, incluindo se eles pagam ou não dividendos.

Não é um conselho de investimento. Desempenho passado não garante ou prevê desempenho futuro.