expand/collapse risk warning

CFDs apresentam um elevado risco de perda rápida de capital devido à alavancagem. 71% das contas perdem dinheiro ao operar CFDs com este fornecedor. Compreenda os CFDs e avalie o seu risco.

Os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um alto risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. 79% das contas de investidores de varejo perdem dinheiro ao negociar CFDs com este fornecedor. Você deve levar em conta sua compreensão de como funcionam os CFDs e se pode correr o alto risco de perder seu dinheiro.

79% of retail investor accounts lose money when trading CFDs with this provider.

Trading Terms

Hiperinflação: Compreendendo a inflação extrema

Hiperinflação: Uma caixa azul transbordando de dinheiro, simbolizando a hiperinflação.

A Hiperinflação é um fenómeno económico que pode ter efeitos devastadores na economia de um país e no nível de vida dos seus cidadãos. Ao contrário da inflação normal, que faz parte normal dos ciclos económicos, a hiperinflação representa um caso extremo de aumentos de preços rápidos, excessivos e descontrolados.

Este artigo irá aprofundar o conceito de hiperinflação, explorar as suas causas, fornecer exemplos do mundo real, discutir os seus efeitos e oferecer estratégias sobre como se preparar para tal crise econômica.

Sem comissões, sem markups.
15/07 - 19/07
TSLA.US: 00:00 - 21:00 UTC
MANAUSD: 13:30 - 20:00 UTC
Opere agora

O que é hiperinflação?

A Hiperinflação é uma condição de inflação muito alta e normalmente acelerada. Corrói rapidamente o valor real da moeda local à medida que os preços dos bens e serviços aumentam incontrolavelmente. Embora não exista um limite específico que defina a hiperinflação, ela é frequentemente caracterizada por taxas de inflação mensais superiores a 50%.

Este cenário de inflação extrema pode levar a um colapso no valor da moeda e a uma instabilidade económica significativa.

Causas da hiperinflação

A Hiperinflação é geralmente impulsionada por uma combinação de fatores que incluem:

  1. Oferta monetária excessiva: Uma das principais causas é o rápido aumento da oferta monetária sem um crescimento correspondente na produção económica. Quando um governo imprime dinheiro excessivamente para pagar dívidas ou financiar gastos, isso pode levar à hiperinflação.
  2. Perda de confiança: Quando consumidores e empresas perdem a confiança numa moeda, tendem a gastar dinheiro rapidamente antes que este perca mais valor, levando a um rápido aumento na velocidade do dinheiro.
  3. Inflação puxada pela demanda: Quando a demanda por bens e serviços ultrapassa a oferta, pode levar a preços mais altos. Num cenário de hiperinflação, este efeito de procura é extremo.
  4. Inflação de aumento de custos: Aumentos significativos no custo de produção, tais como um aumento nos preços das matérias-primas ou nos salários, podem contribuir para a hiperinflação se as empresas transferirem esses custos para os consumidores.
  5. Instabilidade política: As políticas económicas durante períodos de instabilidade política ou guerra podem desencadear hiperinflação, especialmente se os governos recorrerem à impressão de dinheiro para financiar despesas.
Demonstração comercial: Condições reais de negociação com risco zero
Negocie sem riscos nas plataformas premiadas da Skilling com uma conta demo de 10.000*.
Inscrever-se

Exemplos do mundo real de hiperinflação

Vários países experimentaram hiperinflação ao longo da história. Aqui estão alguns exemplos notáveis:

  1. República de Weimar (Alemanha), 1921-1923: Após a Primeira Guerra Mundial, a Alemanha enfrentou enormes pagamentos de reparações e recorreu à impressão de dinheiro, levando à hiperinflação. Os preços duplicaram a cada poucos dias e, em Novembro de 1923, um dólar americano valia 4,2 biliões de marcos alemães.
  2. Zimbabué, 2007-2008: O Zimbabué sofreu hiperinflação devido a políticas de reforma agrária, instabilidade política e impressão excessiva de dinheiro. No seu pico, a inflação atingiu 79,6 mil milhões por cento em termos mensais em Novembro de 2008.
  3. Venezuela, 2016-presente: A má gestão económica, a queda dos preços do petróleo e a instabilidade política levaram à hiperinflação na Venezuela. No seu auge, a taxa de inflação ultrapassou 1.000.000% ao ano.

Efeitos da hiperinflação

A Hiperinflação pode ter efeitos graves e de longo alcance numa economia e nos seus cidadãos:

  1. Desvalorização da moeda: A moeda local perde valor rapidamente, levando à perda de poder de compra.
  2. Erosão da poupança: As poupanças das pessoas tornam-se inúteis à medida que a moeda se desvaloriza, levando a uma diminuição da riqueza.
  3. Instabilidade de preços: Os preços de bens e serviços aumentam incontrolavelmente, dificultando o planejamento e o orçamento dos consumidores e das empresas.
  4. Colapso económico: A Hiperinflação pode levar ao colapso da actividade económica, à medida que as empresas lutam para operar num ambiente altamente instável.
  5. Agitação social: As dificuldades económicas causadas pela hiperinflação conduzem frequentemente à agitação social e à instabilidade política.

Como se preparar para a hiperinflação

A preparação para a hiperinflação envolve diversas medidas estratégicas para proteger os activos e manter a estabilidade financeira:

  1. Diversifique os investimentos: Mantenha ativos em diversas formas, como imóveis, metais preciosos como ouro e moedas estrangeiras. Por exemplo, compreender o cotação da prata pode ajudar na diversificação e salvaguarda da riqueza. Observe que o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.
  2. Invista em ativos tangíveis: Ativos tangíveis, como propriedades e commodities, tendem a reter melhor valor do que dinheiro durante a hiperinflação.
  3. Mantenha moedas estrangeiras: Manter dinheiro em moedas estrangeiras estáveis ​​pode proteger contra a desvalorização da moeda local.
  4. Estocar itens essenciais: Ter um estoque de bens essenciais pode mitigar o impacto da instabilidade e escassez de preços.
  5. Reduzir dívida: O pagamento de dívidas pode proteger contra o aumento das taxas de juros e o aumento do custo dos empréstimos.

Resumo

A Hiperinflação é uma condição económica extrema caracterizada pelo rápido aumento dos preços e pela desvalorização da moeda. Compreender as suas causas e efeitos pode ajudar indivíduos e empresas a preparar e proteger os seus ativos. Ao diversificar os investimentos, deter activos tangíveis e manter-nos informados, podemos enfrentar melhor os desafios colocados pela hiperinflação.

Perguntas frequentes

1. O que é hiperinflação?

A Hiperinflação é uma condição de inflação muito elevada e tipicamente acelerada, muitas vezes superior a 50% ao mês, levando a uma rápida perda do valor da moeda.

2. O que causa a hiperinflação?

A Hiperinflação é causada por factores como a oferta excessiva de moeda, perda de confiança na moeda, inflação puxada pela procura e empurrada pelos custos e instabilidade política.

3. Você pode fornecer exemplos de hiperinflação?

Exemplos notáveis ​​incluem o Zimbabué (2007-2008) e a Venezuela (2016 até ao presente). Fonte: Investopédia

4. Quais são os efeitos da hiperinflação?

Os efeitos incluem a desvalorização da moeda, a erosão das poupanças, a instabilidade dos preços, o colapso económico e a agitação social.

5. Como se pode preparar para a hiperinflação?

As estratégias de preparação incluem diversificar os investimentos, investir em activos tangíveis, deter moedas estrangeiras, estocar bens essenciais e reduzir a dívida.

Ao compreender e preparar-se para a hiperinflação, os indivíduos e as empresas podem mitigar os riscos e proteger a sua estabilidade financeira durante as crises económicas.

Este artigo é oferecido para informação geral e não constitui conselho de investimento. Informamos que atualmente, Skilling oferece apenas CFDs.

Sem comissões, sem markups.
15/07 - 19/07
TSLA.US: 00:00 - 21:00 UTC
MANAUSD: 13:30 - 20:00 UTC
Opere agora
Demonstração comercial: Condições reais de negociação com risco zero
Negocie sem riscos nas plataformas premiadas da Skilling com uma conta demo de 10.000*.
Inscrever-se